ericsson.com
Your location is listed as Global
Login

Como a robótica em nuvem na era do 5G vai revolucionar a indústria

As redes móveis da próxima geração terão um grande impacto na indústria e na sociedade, fazendo com que a robótica em nuvem seja um divisor de águas em relação a como gerenciamos tarefas industriais e de produção.

Como a robótica em nuvem na era do 5G vai revolucionar a indústria

As redes móveis da próxima geração terão um grande impacto na indústria e na sociedade, fazendo com que a robótica em nuvem seja um divisor de águas em relação a como gerenciamos tarefas industriais e de produção.

Available in English Español (Latinoamérica) Português (Brasil)

O lançamento das redes móveis 5G ainda pode estar distante, mas os pesquisadores da Ericsson já estão testando cenários como os de robótica em nuvem móvel, no qual a tecnologia tem o potencial de revolucionar a indústria e a sociedade.

À medida em que as redes 5G são implementadas, os tradicionais robôs programados para desempenhar funções específicas serão substituídos por novos modelos conectados à nuvem. Esses novos robôs terão acesso a uma capacidade de processamento praticamente ilimitada, tornando-os mais flexíveis, usáveis e lucrativos para se ter e operar.

Robôs conectados à nuvem operarão em sistemas inteligentes, reduzindo a necessidade de hardware e demandando menos energia para funcionar.

Desenvolvido pelos profissionais de P&D da Ericsson juntamente com o Instituto de Biorrobótica (parte da Escola de Estudos Avançados de Sant'Anna) e o Zucchetti Centro Sistemi na Itália, o case “Uso do 5G na Robótica Móvel” já identificou várias maneiras nas quais os robôs conectados à nuvem melhorarão o desempenho na indústria.

"As tecnologias móveis permitirão que robôs troquem quantidades consideráveis de informações com a nuvem em baixa latência, o que permitirá que o sistema robótico faça seu trabalho no nível de desempenho desejado”, afirma Roberto Sabella, gerente de Pesquisa e Inivação.

“A velocidade e a capacidade extra fornecidas pelos sistemas de rádio 5G são essenciais para que a robótica em nuvem se torne uma realidade.”

Neste caso de uso do 5G, a inteligência se localiza na nuvem e os robôs podem ser operados remotamente usando um notebook ou um dispositivo móvel. A inteligência na nuvem processa as solicitações e controla os robôs adequados para realizar os serviços. Os robôs agem em tempo real e estão sujeitos a alterações dinâmicas.

"Em termos de produção, os robôs móveis podem ser usados para otimizar a logística, transportando materiais em armazéns e entre células de trabalho”, explica Sabella. "Os robôs podem se mover em uma sequência flexível de lugares para levar os materiais ao lugar correto e no momento certo.

O setor de saúde pode aproveitar uma flexibilidade semelhante, com os robôs transportando amostras, remédios e outros materiais médicos entre enfermarias e laboratórios, farmácias e depósitos.

Ao transferir tarefas repetitivas de baixa complexidade para robôs móveis, os funcionários do hospital podem dedicar ainda mais o seu tempo para o atendimento ao paciente.

Na agricultura, a mobilidade robótica permite o transporte de operações entre campos, estábulos e armazéns. Os robôs podem ser usados nos campos para operações de monitoramento, pulverização, poda e colheita, aumentando a produtividade e reduzindo custos.

“Os robôs móveis incluirão apenas sensores, acionadores e funções de baixa complexidade, e o robô e a rede serão conectados por conexões 5G”, declara Sabella. “O robô também pode ser equipado com uma câmera de vídeo, enviando uma transmissão de vídeo para o controle remoto, fornecendo ao sistema de controle informações adicionais que podem ser úteis no processo de tomada de decisões.”

Os casos de uso da robótica em nuvem móvel são apenas algumas das várias oportunidades interessantes do 5G que estão sendo estudadas pela Ericsson e seus parceiros de pesquisa e desenvolvimento.

“À medida que nos aprofundamos na Sociedade Conectada, onde tudo que pode se beneficiar da conexão estará conectado, a Ericsson continuará na vanguarda do desenvolvimento, padronização e teste da tecnologia 5G”, afirma Sabella.